Sem glúten



Já comentei em algum post, minha intolerância à glúten e confesso que isso me deixa bem triste. Além de não poder comer glúten, por ter um trabalho que exige um bom tempo sentada e provavelmente, por muito stress que passei no trabalho por um bom tempo (uma hora conto), desenvolvi diabetes tipo 2.



Isso limita consideravelmente minha alimentação. Tenho muita sorte em ter um marido que ama cozinhar e é meio cientista o que faz com que ele tenha inspirações culinárias.

Voltando ao glúten.

Eu tinha dores de cabeça bem fortes ao acordar, tomava um remédio e voltava para a cama (quando podia) até passar, tive pequenas tonturas e fui ao médico achando que poderia ser labirintite. Negativo.

O mal estar continuava, enjoo quase sempre e uma dor de estômago que me acompanhava desde criança o que muitas vezes me levou a internação. Entre diversos exames, fiz endoscopia e apareceu uma leve gastrite.

Cheguei a tirar a vesícula por orientação médica e o mal estar permaneceu.



Na infância só diziam, entre uma internação e outra, que eu tinha cólica de umbigo, seja lá o que for isso (se ler o texto do link acima, verá que é bem genérico).


Um dia apareceu do nada a ideia de não comer mais glúten, estava no carro com meu marido e disse...

Acho que não posso comer glúten!

E decidi por conta própria eliminar o glúten, quase sempre, da minha alimentação.

Para minha surpresa e infelicidade deu certo. As dores nas costas, cabeça, enjoos e dor de estomago acabaram, mas basta ceder a um pãozinho crocante ou um pedaço de panetone que algum dos sintomas voltam - sempre me arrependo uns três dias depois...



Tenho 52 anos e na minha infância acredito que seria bem difícil descobrir que tenho essa intolerância.

Imagina? Filha de espanhol que tudo se come com pão!

Posso estar errada ou mal informada, mas algumas pessoas dizem ser difícil descobrir essa intolerância. Não sei...

Enfim, após constatar que me sinto melhor sem glúten, minha vida se tornou uma caça a produtos e receitas que não contém.

Falando nisso e graças à Deus, tenho encontrado mais produtos um pouco menos caros, em supermercados normais (digo normais porque existem os caríssimos chiquérrimos com alguns produtos sem glúten com sabor não muito atraentes).



Mas queria que alguém me explicasse uma coisa, porquê pães sem glúten são pequenos e muitas vezes quase impossível morder sem correr o risco de quebrar um dente? O pão da foto deste post ( lá em cima) da Schar tem um gosto quase bom e na falta de outra opção, foi esse mesmo em um café da manhã.



Para mim o gosto era de um pão meio velho e bem, mas bem duro! Passei geleia e deu para comer com café com leite.

Continuo minha busca por mais produtos sem glúten e comprando os pães e farinhas da marca Schar. Conto aqui para vocês o gosto e textura de cada um! Me acompanhe :)


Sintomas Clássicos

(fonte: Schar)


  • Diarreia crônica;

  • Constipação crônica;

  • Perda de peso ;

  • Inchaço algumas horas após as refeições;

  • Intolerância secundária à lactose;

  • Estearreia (excesso de gorduras nas fezes);

  • Fadiga como expressão de anemia microcítica (hemáceas pequenas e com perda de cor);

  • Dermatite herpetiforme;

  • Perda de apetite / náusea;

  • Deficiência de vitaminas (ferro, cálcio, B12, D).

Sintomas frequentes


  • Sensação de inchaço;

  • Dores abdominais recorrentes;

  • Gases;

  • Esteatose hepática (gordura no fígado);

  • Transaminase pouco clara;

  • Fraqueza muscular ou fadiga;

  • Osteopenia obscura (redução da massa óssea, similar à osteoporose);

  • Fraturas patológicas, decorrentes do enfraquecimento ósseo;

  • Tireoidite de Hashimoto;

  • Queda de cabelo;

  • Afta;

  • Defeitos do esmalte dentário;

  • Menopausa precoce;

  • Abortos frequentes;

  • Menstruação irregular;

  • Infertilidade;

  • Eczema;

  • Acne;

  • Enxaqueca;


Sintomas do sistema nervoso


  • Polineuropatia (reações nos nervos, promovendo distúrbios do sistema nervoso central e periférico e que afeta tanto os membros superiores quanto inferiores);

  • Ataxia cerebelar (falta de coordenação e tontura);

  • Confusão mental;

  • Mielopatia (comprometimento da medula óssea);

  • Degeneração posterior da coluna;

  • Miastenia grave (doença crônica caracterizada por fraqueza muscular e fadiga rápida quando o músculo é exigido);

  • Esquizofrenia;

  • Irritabilidade / alterações comportamentais.

Vai lá no site da Schar! Tem muitos produtos, receitas e informações importantes!


6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

© 2021 por Hatawata Design